quinta-feira, 29 de maio de 2014

Três cristãos são degolados na Síria pelos rebeldes (Islamitas fanáticos) - Three Christians are beheaded by the rebels in Syria (fanatical Islamists)

CRISTÃOS SENDO DEGOLADOS POR CONTA DE SUA RELIGIÃO CRISTÃ



While Barack Obama finances the death of thousands of Christians in Syria, invested in the fall of the government that has protected Christians from Muslim fanatics Basha Al Assad 
this endless war against terrorism. 
The UN sees only what it wants to see. Christians are dying due to the great prejudice against Christianity. In some countries religious intolerance gets to be absurd with shootings, hangings, rape. 
In other countries such persecution occurs by groups of religious fanatics, atheists and gay activist groups. 
AGREES UN.

Enquanto Barack Obama financia a morte de milhares de Cristãos na Síria, investido na queda do Governo que tem protegido os cristãos dos fanáticos mulçumanos Basha Al Assad
nessa guerra sem fim contra o terrorismo.
A ONU só enxerga o que quer enxergar. Cristãos estão morrendo devido ao grande preconceito contra o cristianismo. Em alguns países a intolerância religiosa chega a ser absurda com fuzilamentos, enforcamentos, estupros.
Em outros países essa perseguição se dá por grupos de religiosos fanáticos, grupos ativistas gays e ateus.
ACORDA ONU. 

terça-feira, 27 de maio de 2014

ABORTO - Brasil seguindo a cartilha da ONU - Governo oficializa aborto e paga R$ 443 pelo SUS

A lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff visa autorizar o aborto para casos de estupro e anencéfalos, mas deixa brechas para a prática geral 

Leandro Mazzini
A Portaria 415 do Ministério da Saúde, publicada nesta quinta-feira (22), oficializou o aborto nos hospitais do Brasil, e o Sistema Único de Saúde pagará R$ 443 pelo procedimento.
O Diário Oficial da União (A íntegra aqui ) trouxe publicado o eufemismo ‘interrupção terapêutica do parto’.
A lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff visa autorizar o aborto para casos de estupro e anencéfalos, mas deixa brechas para a prática geral: a mulher não é obrigada a apresentar Boletim de Ocorrência policial ao médico que a atender, e uma única vírgula no texto da portaria abre interpretações jurídicas que podem causar a liberação do aborto sob qualquer motivação.
Sem B.O., a mulher interessada em abortar pode alegar que foi estuprada, mesmo que tenha semanas de gestação e tenha decidido não ter o bebê. A lei não é clara sobre se o procedimento deve ser imediato logo após o estupro.
E o texto da Portaria pode abrir brecha para o aborto em casos gerais: “consiste em procedimento direcionado a mulheres em que a interrupção da gestação é prevista em lei, por ser decorrente de estupro, por acarretar risco de vida para a mulher ou por ser gestação de anencéfalo''.
Em suma, há três motivações. A vírgula abre interpretações como: o ‘risco de vida para a mulher’ não está necessariamente ligado à causa estupro. A gestante pode alegar qualquer risco à sua saúde, mesmo que não tenha sido estuprada.
O projeto surgiu anos atrás, apresentado pela então deputada federal Iara Bernardi (PT-SP), e só ano passado tornou-se o PLC 3/13, aprovado e sancionado.

A Homofobia como Ideologia de Governo

Por Leona
Pelos direitos humanos (espécie de direitos fundamentais de âmbito internacional) todos os Estados devem tomar as medidas necessárias para proteger as pessoas da violência e da discriminação, incluindo aquelas motivadas pela orientação sexual e identidade de gênero.

A homofobia pode ser expressa de modo velado através de atitudes e comportamentos preconceituosos que envolvam a discriminação, por exemplo, na contratação para um emprego, locação de imóveis, ou no acesso aos direitos civis mais primários.

A Organização das Nações Unidas (ONU) define a homofobia como "aversão, ódio, medo, preconceito ou discriminação contra homens ou mulheres homossexuais e também pessoas trans e bissexuais" e ainda como "intolerância e desprezo destinados àqueles e àquelas que apresentam uma orientação ou identidade diferente à heterossexual".

A ONU ressalta que a homofobia "contribui para o aumento das novas infecções pelo HIV e também para mortes por Aids, uma vez que a discriminação dificulta o acesso à informação sobre prevenção e também afasta essas populações dos serviços de saúde, mesmo que testes e medicamentos estejam disponíveis gratuitamente".

De fato, a homofobia é exortada em sociedades culturalmente atrasadas e alienadas dos valores democráticos mais basilares. Regimes impostos por ditaduras revelam-se essencialmente excludentes das minorias e avessos às diferenças em sociedades onde a religião recebe um grau de ortodoxia além do desejavel.

Princípios como os da isonomia e da dignidade da pessoa humana são distribuídos por "castas", quanto mais longe você se encontrar do modelo que o Estado apregoa como ideal, menor será o seu direito de pleitear por isonomia e mais rarefeito estará o dever de o Estado de prestar dignidade.

Sociologicamente, há defensores de que os discriminados seriam os que mais discriminam, talvez haja um fundo de verdade nesta assertiva quando observamos que quase 70% dos Estados africanos apregoam a homofobia como uma questão de valor moral em uma inebriante inversão de valores, chegando ao absurdo de tipificar como crime o fato de ser gay, em prática enunciada por "Jacobs" como Teoria do Direito Penal do Inimigo.

Entrementes, leviano observar um fator social complexo sob apenas uma perspectiva analítica. Não há como simplificar premissas sob pena de se promover conclusões inverídicas pelo excesso de simploriedade.

Se é verdade conjecturar que discriminado tem propensão a responder suas angústias com discriminação, se o fator sociocultural é preponderante para que se dissemine a intolerância às minorias, se os regimes autocráticos são essencialmente discriminatórios, se nos Estados onde política e religião se confundem a homofobia ganha em regra a "legitimidade de Deus" aos mais ortodoxos, mais discriminatório revelar-se-á o Estado quanto mais destes fatores agregar à sua cultura.

O Exemplo da Rússia é paradigmático para demonstrar o que se expõe. Se culturalmente apresenta-se uma sociedade desenvolvida, estudada, sua cultura de desrespeito às liberdades democráticas em seus regimes autoritários é fator suficiente para que o Estado exorte a homofobia, mas não chega ao inconsequente de criminalizar a personalidade gay de forma explícita, não se pratica o Direito Penal do Inimigo como se percebe na maior porção dos Estados Africanos, onde o fator ausência de cultura (educação) que se soma aos Estados de modelo ditatoriais e uma religião que cauciona a iversão de valores, faz a intolerância alcançar níveis alarmantes de desnutrição cognitiva.

Se os Direitos Humanos não poucas vezes peca pelo excesso, invertendo valores, criminalizando o cidadão comum para tutelar o verdadeiro desviado social (criminoso, ser antissocial, nos termos das normas regentes), neste particular caso de discriminação homofóbica deve, com o apoio das entidades internacionais como a ONU, o Tribunal Penal Internacional e Tribunal Internacional de Justiça, coibir com pesadas sanções indivíduos (não punidos por seu Estado) e Estados praticantes deste modelo discriminatório da ideologia de exclusão.

Estes Estados agem por analogia como empresas fraudulentas. Enquanto as empresas se escondem por detrás do véu de suas personalidades jurídicas distintas das dos seus sócios para fraudar, os Estados que apregoam o modelo discriminatório de exclusão se escondem por detrás do véu de suas soberanias, e como medida de direito e de equidade, ambos os véus dever ser retirados ("disregard doctrine") para que se cumpram as normas do bom direito desconsiderando a personalidade jurídica da empresa e desconsiderando a soberania daquele país para atingir os episódicos fatos violadores.

Assim me parece que deve ser lida a questão, que resumidamente poder-se-ía sintetizar que a pobreza de fato e de espírito são as duas vertentes individuais do sentimento que discrimina e que precisa ser combatido.

Advogado, professor, escritor, colunista, articulista e palestrante.

Produção de artigos e crônicas  que propõe uma análise crítico-fundamentada dos acontecimentos político-sociais relevantes ao mundo do Direito.

Novidade!
Lançada no Rio de Janeiro minha nova obra de Direito Constitucional:
"A Efetividade dos Direitos Fundamentais e a Eficácia das políticas Públicas"

Os vereadores do PDT, PSDB, PPS, PP e PSD e A PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA.

IGREJA PERSEGUIDA

Isso é sério e a ONU e Organismos Internacionais precisam começar a se pronuciarem diante dessa questão que está assassinando e estuprando critãos em todo o mundo.

NO BRASIL, OS ATEUS E ATIVISTAS GAYS ERGUERAM A FALSA BANDEIRA DE UM ESTADO LAICO E COM ISSO, TÊM-SE DESENCADEADO UMA FALTA DE RESPEITO, ALÉM DE AGRESSÕES MORAIS, INCITAÇÃO AO ÓDIO, AUMENTANDO ASSEVERADAMENTE O PRECONCEITO CONTRA OS CRISTÃOS.

Nas passeatas gays, vemos símbolos religiosos sendo desrrespeitados e ninguem FALA NADA, FAZ NADA, SE PRONUNCIA EM NADA.

O QUE É ESTADO LAICO SENHORES QUE NÃO ESTUDAM DIREITO O QUE É DIREITO
E FAZEM TUDO ERRADO?


ESTADO LAICO

Constituição Federal, praticamente como uma exortação a que nossa Carta Magna seja bem sucedida em sua tarefa de reger o nosso Estado Democrático de Direito.

Nada disso tem a ver com laicismo estatal. Se o Estado é laico, isso apenas significa que não tem religião oficial. Se não tem religião oficial, o Estado não "prefere" uma em relação a outra, não impõe nem proíbe qualquer delas, interferindo exclusivamente nos limites do que seja necessário para garantir a liberdade de todas e a autoridade dos demais princípios e regras constitucionais.






O PAPA FOI CONTRA O CASAMENTO GAY E NENHUM BONACHÃO FALOU NADA
UM EVANGÉLICO DISSE SER CONTRA O CASAMENTO GAY E OS HIPÓCRITAS SE ESGUEIRAM.


A POUCO TEMPO, A JORNALISTA DO SBT, RACHEL SHEHERAZADE FEZ UM COMENTÁRIO SOBRE O MENOR PRESO À UM POSTE E LOGO O PSOL SE LEVANTOU COM SUA BANDEIRA ELOQUENTE DE PROTEÇÃO AO SER HUMANO (eles dizem ser contra todo tipo de opressão mas até hoje não vi nenhum deles se oponto à perseguição religiosa no Brasil) E ENTRARAM COM UM PROCESSO CONTRA ELA, INCLUSIVE ATÉ O PT AMEAÇOU CORTAR AS VERBAS  DO SBT CASO ELA NÃO FOSSE DEMITIDA. (partido dos trabalhadores, vejam bem) 
Algum tempo depois surge a musica de VALESKA POPOZUDA que trazia em sua letra as palavras: tiro, porrada e bomba - “Segundo a grande pensadora contemporânea Walesca (sic) Popozuda, se bater de frente”, diz o enunciado da pergunta formulada pelo professor Antonio Kubitscheck. Entre as alternativas, estão os trechos “É só tiro, porrada e bomba”, “É só beijinho no ombro”, “É recalque” ou “É vida longa”. Um dos alunos que fizeram a prova publicou foto no Facebook, ironizando a questão. “É sério isso?!”, escreveu. FOI CHAMADA DE PENSADORA. 

As igrejas evangélicas sempre foram oprimidas, perseguidas, ameaçadas, fechadas simplesmente pelo fato de alguem não gostar de "crente" (popularmente como é conhecido os protestantes).




Xuxa só para bobinhos e desconforto da família brasileira

A hipocrisia dos hipócritas

Comentário de Julio Severo: O artigo de hoje, vindo do tabloide sensacionalista Genizah, vem por recomendação direta da Dra. Damares Alves, que o divulgou no seu perfil de Facebook. Contudo, por alguma razão, a matéria, que foi postada originalmente neste link, foi removida logo após à divulgação. No texto, Danilo Fernandes ataca o comportamento baixo da Xuxa, ataca o governo por impor a Lei da Palmada no Brasil, elogia quem se opôs a essa lei maligna, etc. O artigo está muito bom, em comparação com o lixo que ele escreve regularmente, e mostra que, quando não está envolvido em gossip (fofoca) e esquerdismo, ele até que consegue escrever algo que valha a pena ler. Mas é raridade. O único ponto desnecessário é que ele aproveitou para lamuriar a processo que está levando de Marcelo Crivella por crítica ofensiva. Esse é o problema. Se ele se ocupasse apenas em denunciar o erro sem difamar, seria um trabalho cristão digno de ser divulgado. A Dra. Damares foi muito humilde em divulgar o texto de Danilo contra Xuxa e sua sem-vergonhice, pois no ano passado a própria Dra. Damares foi alvo das difamações e ataques do Genizah, conforme registrado neste link: http://archive.today/Y6F27
Pude defender a Dra. Damares dessas calúnias aqui: http://bit.ly/13uMmH2
O Rev. Alberto Thieme, um pastor presbiteriano por quem tenho grande admiração, foi igualmente alvo de ataques de Danilo, que xingou o idoso pastor de “obscuro e nojento velho gagá Thieme” apenas porque o pastor presbiteriano “ousou” me defender, de forma extremamente educada e cristã, da avalanche de ataques que sofro periodicamente do Genizah e seus laranjas.
Imagino que se o Rev. Thieme recorrer ao Estatuto do Idoso para denunciar o modo como ele foi tratado como idoso, Danilo vai lamuriar que não só Crivella, mas também um pastor presbiteriano o está “perseguindo” injustamente!
Mas o atual artigo de Danilo — que foi removido do Genizah, mas está sendo disponizilizado aqui — mostra que, mesmo em meio a densas trevas, a luz pode brilhar. Antes da remoção do artigo, alguns achavam que poderia ter havido uma conversão. Seja como for, parabéns ao Danilo por esse artigo que demonstra que quando não está envolvido em fofocas e difamações, ele consegue trabalhar bem. Eis o artigo, conforme publicado originalmente em 24 de maio de 2014:

Xuxa só para bobinhos e desconforto da família brasileira

Danilo Fernandes
Esta semana, em sessão na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, o deputado Pastor Eurico se dirigiu à apresentadora Xuxa de maneira áspera e lamentou a sua presença na mesa diretora da CCJ. Ele afirmou que, "em 1982, Xuxa cometeu a maior agressão contra crianças", em referência à participação da apresentadora, como atriz, no filme "Amor, Estranho Amor". Xuxa não respondeu às críticas do deputado. Impedida de falar pelo regimento da casa legislativa, Xuxa fez um coraçãozinho para o pastor deputado. A liderança do PSB, partido do deputado, acredita que o deputado pastor Eurico gerou desconforto no plenário da CCJ.
O deputado Alessandro Molon (PT-RJ), relator da matéria aproveitou a quizomba causada pelo episódio para surfar a sua marola de popularidade na mais deslavada falácia lógica: “A gente está falando de crianças que são queimadas e espancadas.“ Sério? Atenção senhores pais: Agora fazer churrasco de criancinha é crime, viu?!
A coisa toda mais parece uma ópera bufa
Outros gaiatos querem dar a lei o nome do pobre menino BERNARDO, assassinado por sua madrasta no RS, como se o massacre tenebroso do garoto rejeitado pelo próprio pai se relacionasse de alguma forma a esta peça legislativa. Outros querem homenagear a menina Isabella Nardoni, jogada por seus pais da janela de um prédio. Xuxa, há dois anos atrás, ao comentar sobre a referida lei, também fez a mesma associação ao caso. A argumentação falaciosa beira o boçalidade. A disciplina infantil, um tapinha na mão da criança que insiste numa arte que pode lhe causar imenso perigo (botar o dedo na tomada) evolui para o mal trato, a lesão corporal, a tortura e até o assassinado com requinte de crueldade!
O deputado ofende a rainha dos bobinhos
Não tendo acesso a uma gravação completa do episódio, estamos limitados a arrazoar a partir do fragmento mostrando o desabafo exacerbado do pastor, o gesto midiático de Xuxa fazendo o seu “coraçãozinho” e a constatação de que a plateia se dividiu entre aplausos e vaias ao deputado.
Sabe-se também que enquanto alguns integrantes da bancada evangélica apoiavam o pastor, outros, como o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) e a deputada Sandra Rosado (PSB-RN) defenderam Xuxa “gostaria de deixar claro que essa é a opinião do Pastor Eurico. Não é posição da bancada evangélica.” disse Garotinho. “Cada um tem seu papel relevante na sociedade, seja como parlamentar, seja como artista.” disse Sandra Rosado.
Para além das reportagens traçando o perfil de um troglodita às expensas do deputado, já antevejo alguma campanha de artistas da ala do caviar fazendo coraçõezinhos criativos nas suas páginas do Facebook. Que fase, não?!
“Gerou desconforto". “Causou constrangimento”. Estas foram as expressões onipresentes nas matérias jornalísticas. Bem assim, o parlamentar já foi destituído da referida comissão e defenestrado pelo presidenciável e líder de seu partido, o governador de Pernambuco Eduardo Campos, provavelmente preocupado em não perder os votos dos fãs da Xuxa...
Desconforto e constrangimento de quem, cara pálida?
Sabemos que senso de propósito cristão, sabedoria e uma agenda reinista não são exatamente matéria abundante entre a bancada evangélica. Igualmente, percebo uma profunda inabilidade na arte da comunicação, o que causa estragos homéricos na imagem dos políticos evangélicos junto a opinião pública em geral, inclusive entre os próprios evangélicos.
Contudo, tenho de reconhecer a justa indignação do deputado Eurico (ainda que muito mal expressada) e de muitos outros deputados ali presentes em relação a mais uma intromissão maliciosa deste governo, em sua batalha para aniquilar os valores familiares da sociedade brasileira.
Na minha modesta opinião, porquanto eu posso expressa-la, ainda que à custa de processos movidos contra mim por ministros deste governo; DESCONFORTO real é aquele resultante da ação de certos segmentos representados naquele Congresso mui esmerados na tarefa de promover uma agenda legislativa que mais parece ter sido concebida no quinto dos infernos.
E, convenhamos, cristão que mereça este nome, diante deste tipo de ataque, tem mais é que sair da sua ZONA DE CONFORTO e se fazer DESCONFORTO às intenções do maligno. Seja proclamando o Evangelho, seja fazendo o bem nas ruas, nos mocambos, entre os aflitos e oprimidos e, naturalmente, na defesa dos valores que lhe são caros, fazendo uso de todos os meios possibilitados pelo estado democrático de direito, entre os quais, tocar a trombeta no legislativo. E que a Xuxa e a sua legião de fãs que se DESCONFORTEM à gosto e à vontade , posto que DESCONFORTO midiático-eleitoreiro passa, mas a legislação deletéria fica.
O DESCONFORTO de Xuxa todo mundo viu na TV e se apiedou. Tadinha da Xuxa. E o DESCONFORTO dos cristãos compromissados em barrar este ataque incessante visando a imposição de uma agenda que inclui o aborto, a ingerência do estado na criação de nossos filhos, o currículo escolar com kit gay e muitos outros eteceteras culminando na cereja deste sundae do capeta: dona Xuxa, em meio a uma audiência tratando de assunto sério, pagando de defensora das crianças e dos valores da família, enquanto a ministra Ideli Salvatti sapateia a sua vitória legislativa na cabeça da bancada evangélica? Este DESCONFORTO sensibiliza alguém? A mim sensibiliza!
Xuxa, uma coluna nos fundamentos da educação infantil no Brasil
Oi, quem? A rainha Xuxa? A manobra diversiva objetivando colher frutos de popularidade eleitoreira de uma nação já não tão hipnotizada pelas realizações do partido do governo? A santa Xuxa? Colocada em um andor pelos marqueteiros do PT para um longo périplo pelos gabinetes de Brasília a fim de abrilhantar as conquistas da presidente Dilma e fornecer uma gaveta de boas imagens para as suas matérias de campanha?
Ora pois, brasileiros, se a rainha Xuxa aprova a agenda do governo para as nossas crianças, quem irá se opor? A Globo é que não vai! Até o seu ex-namorado, o Pelé, irá dizer: Este gol vai para as criancinhas do Brasil espancadas por seus odiosos pais evangélicos!
E logo a Xuxa!
Que, sim, fez mesmo o tal filme pedófilo e que, se arrependida ou não, não teve ali, nem de longe, o ápice de sua atuação maliciosa contra a infância brasileira, mas posteriormente, em sua carreira de décadas como babá eletrônica, a frente de programas infantis infames, carregados de valores depravados e que muito contribuíram para a erotização precoce de crianças.
DESCONFORTO é a presença da D. Xuxa em uma discussão legislativa séria sobre educação infantil. Logo ela que desde a década de 80 martelou a cabeça das crianças com músicas de duplo sentido, sensualidade e moda infantil ao gosto dos pedófilos.
Xuxa e a erotização precoce

Qual foi o legado do programa da Xuxa para a educação infantil?

-A receita completa para construir gerações de ególatras consumistas, adoradores do sexo descompromissado e hostis a toda religião.
E observem nos vídeos aqui postados que, no passado, D. Xuxa até que era adepta de uma certa brutalidade com as crianças… Um tranquinho, de vez em quando, era o couvert artístico de figuração infantil no Show da Xuxa!
Não me comovem nem as lágrimas e nem o DESCONFORTO da Xuxa em busca de sua carreira de terceira idade: Mui digna defensora das crianças brasileiras! Xuxa pode não ser mais a mesma, mas no passado militou fortemente contra os valores familiares. Os vídeos neste post sublinham estes fatos.
-“Ah! Mas o deputado não teve uma atitude cristã... Ele fez o papel do acusador, mas a santa Xuxa respondeu às agressões com coraçõezinhos de amor.”
Foi mesmo, ô paquita?
Para começar, há a rainha boa Xuxa show infantil, com seus beijinhos e coraçõezinhos e há a rainha má Maria das Graças Menengel dos tribunais, a sua resposta habitual aos súditos rebeldes (CONFIRA). Xuxa já recorreu a justiça para caçar jornalistas, autores, cineastas, o twitter e até o Google por mostrar resultados de busca que não lhe caem bem. Não duvido que a Xuxa queira me processar também! Com o Crivella e a Universal num processo e a Xuxa em outro, vou morar de cobertura com vista para o "mar ressuscitado" na Jerusalem Celestial.
Xuxa não manda coraçõezinhos na TV a seus desafetos. O lance da Xuxa é promover ataques de pelanca nos tribunais. Acordem paquitas!
Azorrague no lombo de quem quer depravar a infância de nossas crianças!
Disseram:
“O pastor causou constrangimento”.
Que bom que alguém o fez. Constrangimento é a dor da hipocrisia. E hipocrisia é o que não faltou neste episódio.
Irmãos, há hora de estender a mão, há hora de partir o pão e é sempre hora de perdoar e amar. Contudo, como também nos ensina a Palavra, há a hora do azorrague. E, naquele instante no CCJ em que o jogo democrático exigia o debate firme de posições e os últimos recursos se exauriam a fim de evitar a aprovação de uma lei que viola o direito dos pais de corrigir os seus filhos (segundo nos ensina as Escrituras), era hora de ser profeta e repreender!  E eu só lamento que tenha faltado quem o fizesse a contento mas, na falta deste, louvo a Deus que ao menos UM se levantou para dizer: BASTA!

quinta-feira, 22 de maio de 2014

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA - Dá ao Brasil, exemplo de intolerância religiosa, preconceito e "pixação" da CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

Marisa Lobo, militância gay e um caso de intolerância religiosa do Conselho Federal de Psicologia
Por Marco Feliciano



Li, perplexo, a informação de que Marisa Lobo, psicóloga do Paraná, foi julgada pelo Conselho de Ética do Conselho Regional de Psicologia (CRP), processo administrativo que corre em segredo no CRP desde 2012. Trata-se de mais uma obra do sindicalismo gay. Reitero: Há diferença entre o homossexual e o militante gay.
Poucas coisas são tão detestáveis quanto este teatro armado pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) para calar a voz de uma profissional que no exercício de seus direitos declara sua fé e mesmo sem nunca ter usado o seu consultório para promover sua crença ou induzir convicções religiosas foi julgada a revelia.
As acusações não se sustentam. Marisa Lobo chegou a ser acusada de promover o que nunca existiu. Acusaram a psicóloga de promoção da “Cura Gay”. Homossexualidade não é doença e nunca existiu esta “Cura Gay”. A pachouchada foi criada pela imprensa sindical para parar o Projeto de Decreto Legislativo que torna sem efeito parte do Arrigo 3º e o Artigo 4ª da Resolução nº 1 do Conselho Federal de Psicologia, que, com efeito, invadem de forma indevida a relação psicólogo-paciente e violam o Artigo V da Constituição.
Marisa nunca tratou de sexualidade ou tentou induzir homossexual a mudar sua orientação. Como cristã Marisa Lobo tem o direito de descordar da prática homossexual e até de expor sua opinião, trata-se do estado democrático de direito.
Pouco me importa se 99% dos profissionais de psicologia são ateus ou homossexuais. Essa maioria é incapaz de restringir a liberdade que a Constituição declara. Ou o objetivo do CFP é justamente atacar a crença e a convicção que o Estado concede a seus profissionais?
O que quer essa gente? Qual o objetivo do Conselho Federal de Psicologia? Quem está por trás disso? Mas concluo: O CFP ofende a constituição brasileira ao promover a injustiça e ao tentar restringir a liberdade de uma profissional.
* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.

Perseguida pela militância gay e pelo Conselho Federal de Psicologia, Marisa Logo tem seu registro cassado.

Marisa Lobo, militância gay e um caso de intolerância religiosa do Conselho Federal de Psicologia
Por Marco Feliciano

Marisa Lobo, militância gay e um caso de intolerância religiosa do Conselho Federal de Psicologia

Li, perplexo, a informação de que Marisa Lobo, psicóloga do Paraná, foi julgada pelo Conselho de Ética do Conselho Regional de Psicologia (CRP), processo administrativo que corre em segredo no CRP desde 2012. Trata-se de mais uma obra do sindicalismo gay. Reitero: Há diferença entre o homossexual e o militante gay.
Poucas coisas são tão detestáveis quanto este teatro armado pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) para calar a voz de uma profissional que no exercício de seus direitos declara sua fé e mesmo sem nunca ter usado o seu consultório para promover sua crença ou induzir convicções religiosas foi julgada a revelia.
As acusações não se sustentam. Marisa Lobo chegou a ser acusada de promover o que nunca existiu. Acusaram a psicóloga de promoção da “Cura Gay”. Homossexualidade não é doença e nunca existiu esta “Cura Gay”. A pachouchada foi criada pela imprensa sindical para parar o Projeto de Decreto Legislativo que torna sem efeito parte do Arrigo 3º e o Artigo 4ª da Resolução nº 1 do Conselho Federal de Psicologia, que, com efeito, invadem de forma indevida a relação psicólogo-paciente e violam o Artigo V da Constituição.
Marisa nunca tratou de sexualidade ou tentou induzir homossexual a mudar sua orientação. Como cristã Marisa Lobo tem o direito de descordar da prática homossexual e até de expor sua opinião, trata-se do estado democrático de direito.
Pouco me importa se 99% dos profissionais de psicologia são ateus ou homossexuais. Essa maioria é incapaz de restringir a liberdade que a Constituição declara. Ou o objetivo do CFP é justamente atacar a crença e a convicção que o Estado concede a seus profissionais?
O que quer essa gente? Qual o objetivo do Conselho Federal de Psicologia? Quem está por trás disso? Mas concluo: O CFP ofende a constituição brasileira ao promover a injustiça e ao tentar restringir a liberdade de uma profissional.
* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

ONU quer que Igreja pare de se manifestar contra o aborto

Declaração acirra o debate sobre qual direito é mais importante: de expressão ou de religião

O Centro de Direitos Reprodutivos (CRR na sigla original em inglês) é uma das principais organizações lobistas na ONU em questões referentes ao aborto. Já ficou provado no passado que eles possuem influência nas decisões do Comitê de Direitos Humanos da Organização. A atividade da rede comandada pela CRR conseguiu alterar decisões de políticas públicas nos Estados Unidos, na América Latina e em parte do continente Europeu e da África.
Sabe-se que por trás da CRR estão conhecidos financiadores internacionais que sustentam as cerca de duzentas ONGs que trabalham pela promoção do aborto, incluindo as que atuam no Brasil. Entre os patrocinadores da CRR estão as conhecidas Fundação MacArthur, Packard Foundation, Ford Foundation, Grove Foundation, John Merck Fund.
A mais nova investida da CRR inclui um ataque frontal à Igreja. No último mês, ela pediu ao Comitê contra a Tortura das Nações Unidas para impedir que grupos cristãos se posicionem oficialmente contra o aborto, relata o site católico CNS News.
A alegação do Centro é que “a liberdade de expressão e de religião” não dá a igreja o direito de ir contra o aborto. Especialmente quando é uma iniciativa do Vaticano. “Urge que a Santa Sé se abstenha de interferir negativamente de maneira pública ou privada sobre as mulheres ou as decisões dos legisladores no tocante ao acesso ao aborto. A ONU deve apoiar os Estados que procuram alinhar as suas políticas tocante aos direitos reprodutivos das mulheres com as suas obrigações seguindo as convenções internacionais”, disse o documento.
No início deste ano, o Comitê da ONU sobre os Direitos da Criança emitiu um relatório pedindo que a Igreja Católica mude seu ensino sobre o aborto. ” O Comité solicita que a Santa Sé reveja sua posição sobre o aborto, o que coloca riscos óbvios à vida e à saúde de meninas grávidas, e altere o Direito Canônico, nos artigo relativo ao aborto com vista a identificar as circunstâncias em que o acesso a serviços de aborto possa ser permitido”.
Oficialmente, o Vaticano não se manifestou. Mesmo assim, Maureen Ferguson, conselheira sênior de políticas da Associação Católica, grupo de leigos católicos que defendem a igreja e seus ensinamentos, declarou: “A ONU , é claro, não tem jurisdição alguma para fazer isso. A ironia é simplesmente inacreditável… em nome dos direitos da criança, seguindo a Convenção sobre os Direitos da Criança, a ONU está dizendo à Igreja que temos de mudar nossa posição sobre a proteção das crianças não nascidas”.
Além disso, “estamos estudando os termos desta Comissão sobre a tortura”, disse ela. “O que poderia ser mais torturante para uma criança do que o desmembramento literal de um ser humano vivo que é o aborto?”. Com informações Christian Headlines.

Centenas de crianças cristãs são sequestradas e vendidas como escravas - Hundreds of Christian children are kidnapped and sold into slavery by Muslims


Uma forma encontrada para punir os pais cristãos, conseguir status, privilégios, dinheiro ou soltura de prisioneiros e para eles é fácil fazer lavagem cerebral nas crianças, convertendo-as ao islã.

Desde o dia 14 de abril, mais de 200 jovens estão desaparecidas. Elas foram levadas de um internato em Chibok, cidade do Estado de Borno, na Nigéria. Seus sequestradores pertencem ao grupo radical islâmico Boko Haram, famoso por perseguir e matar os cristãos nigerianos.
As estudantes tinham entre 16 e 18 anos, e se tornaram o mais novo símbolo de uma campanha internacional contra o tráfico humano. O governo nigeriano já se mostrou impotente para combater o Boko Haram, que não aceita que mulheres tenham acesso à educação.
A mídia internacional tem falado sobre o sequestro sem parar. As notícias mais recentes dão conta que elas foram levadas para os países vizinhos: Chade e Camarões. Ali, foram vendidas por cerca de US$ 15 (35 reais). Algumas se tornaram esposas de quem as comprou, outras são escravas sexuais.
O elemento mais chocante desse história triste veio à tona neste final de semana, quando o líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, gravou um vídeo onde explica: “Alá me disse para vendê-las, elas são propriedades Dele. Vou fazer o que ele me pediu”. Todas as meninas eram cristãs e o fato de um líder islâmico ter colocado isso como vontade de Deus gerou protesto de vários grupos que lutam contra a perseguição religiosa no mundo.
Também surgiu relato de uma jovem que conseguiu fugir. Ela conta que algumas dessas meninas foram vítimas de estupros coletivos, cerca de 10 vezes por dia. Deborah Sanya, de 18 anos, conta que conseguiu escapar mesmo arriscando ser morta pelos muçulmanos. Ela passou a noite num bosque junto com outra menina que fugiu com ela. Seu testemunho tem oferecido detalhes terríveis do que está por trás desse ato covarde.
Tomados pelo desespero, cristãos nigerianos saíram às ruas no dia 1º de maio para protestar. Eles exigem que o governo tome atitudes enérgicas e resgate as jovens. Mesmo assim, nada de concreto foi feito. Há mais de uma década, os militantes do Boko Haram usam da religião para tentar derrubar o governo e estabelecer um Estado islâmico na região.
Algumas fontes afirmam que o número de sequestradas é de 220, enquanto outros apontam para até 270. Não se sabe quantas estão vivas. A Associação Cristã da Nigéria, um dos maiores grupos a reunir igrejas no país tem feito campanhas de jejum e oração pelas jovens e pedem auxílio nesse sentido a todos os cristãos do mundo.  Com informações The Guardian, CNN e World Watch Monitor

Igreja Perseguida - FARC fecharam 150 igrejas cristãs este ano na Colômbia

Católicos e evangélicos são igualmente perseguidos na região



Os cristãos da Colômbia tem vivido este ano em constante perigo, por causa de ameaça de grupos guerrilheiros das FARC. Eles proibiram os cultos nas áreas rurais sob seu controle, especialmente no sul do país, e têm extorquido pastores e padres.
Estima-se que 150 igrejas foram obrigadas a fechar desde julho, quando a frente 32 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia/Exército do Povo (FARC-EP) lançou uma ofensiva, proibindo a celebração de missas e cultos em cidades e vilas menores.
Para se reunir, a maioria das congregações precisa pagar uma espécie de “taxa de proteção” ao grupo rebelde. Os cristãos que correm maior risco são aqueles que ainda se reúnem nas casas e os líderes que viajam para se encontrar com eles. “Sempre que meu marido ou outro líder da igreja decide pregar no campo, só posso pedir: Senhor, proteja e dê segurança a cada um deles”, diz Jeanet Ortiz Pinto, esposa do evangelista itinerante Angel Pinto.
“Meu coração está triste ao ver o que está acontecendo ao nosso redor”, afirma ele. O casal pastoreia a Igreja de Deus em Puerto Asis, desde 1988. Angel também é um pastor itinerante, que visita continuamente várias igrejas recém-plantada no Estado de Putumayo. Durante seu ministério, que já dura mais de 25 anos, Pinto foi expulso da igreja cinco vezes por grupos armados. Duas vezes ele foi ameaçado de morte por violar as proibições impostas pelas FARC contra a pregação.
Ele diz que não tem medo e explica que sua congregação tem um ministério que resgata e cuida dos chamados órfãos de guerra. Algumas dessas crianças são filhos de membros da igreja que morreram nas mãos da FARC.
Mesmo assim, ele sabe que as FARC já mataram centenas de líderes de igrejas evangélicas nos últimos anos, incluindo alguns de seus colegas de ministério em Puerto Pinto Assis. Após as ameaças da guerrilha, seis padres foram expulsos de suas paróquias na região, de acordo com informações da imprensa.
O governo colombiano realizou reuniões de paz com as Farc em Cuba, para chegar a uma solução para o conflito que já dura décadas. Eneida Herrera, uma evangélica professora de Finanças Públicas na Universidade do Américas, lamentou que a igreja sofra com a violência de grupos armados e faz um alerta. “Caso as negociações de Havana não produzam nada de positivo, podemos esperar uma onda de violência maior do que tem acontecido até agora”.
Pedro Mercado, vice-secretário da Conferência Episcopal da Igreja Católica, declarou que estava “muito preocupado pois… Há mais ameaças de segurança a nossos padres e bispos, e restringe nossa liberdade de pregar a palavra de Deus”.

Tragédia na Colômbia - Explosão de ônibus mata 33 crianças que voltavam da igreja

Explosão de ônibus mata 33 crianças que voltavam da igreja


Elas voltavam de um evento evangélico quando o veículo pegou fogo e explodiu
Fonte: GospelPrime
p
Um ônibus explodiu no último domingo (18) em Magdalena, departamento ao Norte da Colômbia. O veículo transportava crianças que voltavam de uma atividade em uma igreja pentecostal.
Com a explosão, 33 crianças morreram e 18 ficaram feridas. As vítimas tinham idade entre 2 e 12 anos de idade e morreram queimadas.
As crianças estavam sob responsabilidade da Fundação Magdalena, entidade ligada à igreja, que agora responderá pela morte. A causa da explosão do veículo está sendo investigada, mas sabe-se que o ônibus não tinha saída de emergência, e por este motivo apenas as crianças maiores conseguiram sair, mas todas com graves queimaduras.
Uma das hipóteses sobre o acidente, segundo a polícia local, seria que o dono do ônibus transportava gasolina contrabandeada, uma prática comum naquela região da Colômbia.
Testemunhas dizem que o fogo se espalhou rapidamente no veículo e que ele explodiu em questão de segundos, antes mesmo da chegada dos bombeiros.
Pelo Twitter o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, lamentou a tragédia e afirmou que o país estava de luto em homenagem às crianças e em respeito aos familiares.
O presidente revelou também que o ônibus possui seguro obrigatório de acidentes de trânsito, medida adotada no país há dois anos, o que pode cobrir as despesas das famílias.
De acordo com a Agência Brasil, os corpos das vítimas foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal de Barranquilla, que fica no centro urbano mais próximo de Magdalena, as famílias terão que reconhecer os corpos através de DNA ou pela identificação da arcada dentária, pois as crianças tiveram seus corpos carbonizados.
As investigações vão continuar. Uma verdade que não pode ser OCULTA é que a FARC já fechou 150 igrejas evangélicas.

SOS NIGÉRIA - Sobe para 118 o número de mortos em duplo atentado na Nigéria

  • G1
Pelo menos 118 pessoas morreram e várias dezenas ficaram feridas na explosão de dois carros-bomba ontem em um mercado da cidade de Jos, no centro da Nigéria, informou nesta quarta-feira a Agência Nacional de Gestão de Emergências (NEMA, sigla em inglês) do país.
"Recuperamos 118 corpos entre os escombros", disse o coordenador da NEMA na zona centro-norte do país, Abdulsalam Abubakar, através do Twitter.
Arte UOL
As explosões aconteceram com um intervalo de 15 minutos de diferença entre elas no conhecido mercado de Terminus, perto da estação de trem de mesmo nome, por volta das 15h locais (12h de Brasília).
Segundo Abubakar, o ataque foi uma "catástrofe" já que aconteceu na hora do rush, quando o mercado estava cheio.
Em um primeiro momento, a polícia informou que pelo menos 46 pessoas tinham morrido e outras 45 tinham sofrido ferimentos, mas o número não foi confirmado pelo governo regional, que garantiu "não ter pressa" para divulgar o número preciso de vítimas do atentado.
"Iniciamos uma investigação sobre o incidente", disse Olivia Dazyam, porta-voz do governo do estado de Plateau, cuja capital é Jos.
Por sua vez, o presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, condenou o duplo atentado através de um comunicado e chamou os autores de "cruéis e maus".
Ampliar

Sequestro de jovens na Nigéria50 fotos

28 / 50
12.mai.2014 - Em vídeo divulgado pelo grupo radical Boko Haram, que sequestrou mais de 200 jovens na Nigéria, as meninas feitas reféns vestem hijabs (trajes tradicionais islâmicos) enquanto conversam em local desconhecido. Segundo um porta voz do grupo, elas se converteram ao Islã e só serão libertadas se o governo trocá-las por militantes presos Leia mais AFP
A autoria do ataque não foi reivindicada por nenhum grupo, mas o presidente garantiu que seu governo "segue disposto a vencer a guerra contra o terrorismo", em referência ao grupo fundamentalista islâmico Boko Haram.
Essa organização, que sequestrou e mantém em cativeiro cerca de 200 meninas há mais de um mês, foi responsável pela morte de mais de 3 mil pessoas em atentados cometidos nos últimos cinco anos no país.
O Boko Haram, que significa em línguas locais "a educação não islâmica é pecado", luta pela imposição de sua interpretação da "sharia" - a lei islâmica - na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e predominantemente cristão no sul.
Com cerca de 170 milhões de habitantes pertencentes a mais de 200 grupos tribais, a Nigéria, o país mais populoso da África, sofre múltiplas tensões por suas diferenças políticas, socioeconômicas, religiosas e territoriais.