segunda-feira, 28 de março de 2016

No Paquistão, 65 cristãos são mortos em ataques

Com 65 mortos no Paquistão, Talibã diz que cristãos são o alvo dos ataques


Fonte: Extra



PESHAWAT, Paquistão (Reuters) – A facção do Talibã Jamaat-ul-Ahrar disse que foi a responsável por um ataque a bomba suicida que matou ao menos 65 pessoas na cidade paquistanesa de Lahore neste domingo, e afirmou que o alvo do ataque foi a minoria cristã do país, majoritariamente muçulmano.

“O alvo foram os cristãos”, disse um porta-voz da facção, Ehsanullah Ehsan. “Nós quisemos mandar essa mensagem para o primeiro-ministro Nawaz Sharif, de que nós entramos em Lahore. Ele pode fazer o que quiser, mas não será capaz de nos parar. Nossos homens-bomba vão continuar com esses ataques”.

Militantes do Islã no Paquistão têm atacado cristãos e outras minorias religiosas com frequência ao longo da última década. Os cristãos acusam o governo do país de poucos esforços para protegê-los.

Talibã mata cristãos enquanto celebravam a Páscoa


Atentado deixou 60 mortos e mais de 300 feridos

por Jarbas Aragão 



Talibã mata cristãos enquanto celebravam a Páscoa

Neste domingo de Páscoa, membros da pequena comunidade cristã do Paquistão celebravam em família a ressurreição de Jesus na capital Lahore no início da noite.
Um atentado terrorista islâmico, contudo, ocorreu perto do carrossel infantil no parque Gulshan-e-Iqbal. Segundo o chefe de polícia Haider Ashraf, um homem-bomba se explodiu, deixando cerca de 60 mortos e mais de 300 feridos. A maior parte das vítimas são mulheres e crianças.
Segundo as autoridades, a Jamaat-ul-Ahrar, dissidente do grupo radical islâmico Talibã, assumiu a responsabilidade pelo ataque. A Associated Press divulgou um comunicado de Ahsanullah Ahsan, porta-voz dos terroristas. “Reivindicamos a responsabilidade do ataque contra os cristãos que estavam no local celebrando a Páscoa… Nossos homens-bomba continuarão esses ataques!”.
Nasreen Bibi, mãe de uma criança de dois anos ferida na explosão, estava desesperada: “Estávamos aqui apenas tentando ter uma noite agradável e desfrutar do clima. Que tipo de pessoas têm como alvo crianças pequenas brincado em um parque?”, desabafou.
“Quando aconteceu a explosão, as chamas eram tão altas que chegavam ao topo das árvores. Vi corpos voando no ar”, afirmou Hasan Imran, 30, que caminhava no parque na hora do atentado.
Assim que foi noticiado o ataque, as principais áreas comerciais e os parques da cidade foram fechadas. O domingo é um dia normal na vida da população do país onde mais de 90% da população é de muçulmanos. Seu dia santo é a sexta-feira.
“Muitos dos que foram feridos estão em estado grave. Tememos que o número de mortes aumente de forma considerável”, lamentou Salman Rafique, conselheiro de saúde do governo local.
O ministro-chefe da província, Shahbaz Sharif, anunciou que será observado três dias de luto. Também prometeu que os responsáveis serão levados à Justiça.
Com uma população de 190 milhões de habitantes, o Paquistão tem visto um aumento da intolerância religiosa, principalmente por cauda do grupo radical islâmico Talibã. A maioria dos seus soldados se espalharam pelo país nos últimos anos, fugindo das tropas americanas que invadiram o vizinho Afeganistão, onde eles dominavam. Com informações de Daily Mail

quarta-feira, 9 de março de 2016

Conselho de Psicologia Promove perseguição religiosa contra Marisa Lobo por causa de sua fé. Psicólogos espiritas não sofrem essa perseguição, Por que?

CONSELHO DE PSICOLOGIA DO BRASIL  persegue psicólogos que professam sua fé em Jesus Cristo mas não fazem nenhuma objeção com outros que tem explícita sua fé não cristã.



Veja essa foto. É o caso de PSICÓLOGOS espíritas, que fazem usos de técnicas espiritas em seus pacientes

Se pau que bate em Chico não bate em Francisco, então ESTÁ CARACTERIZADA, PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA POR ELA SER EVANGÉLICA.





Fui Cassada por me declarar Cristã, e essa psicóloga tem livros de Psicologia Espírita e usa técnicas de vidas passadas, para explicar HOMOSSEXUALISMO. O conselho não faz e nunca fez absolutamente nada. Entende o que eu sofro? é Perseguição religiosa por eu ser Cristã? E tem crente que ainda me critica...Deus cuide desses linguarudos, creio na Justiça Divina.


noticias.gospelmais.com.br/peticao-cassacao-registro-psicologo-silas-malafaia-49798.html

EM FEVEREIRO DE 2013, PASTOR SILAS TAMBEM FOI ALVO DE NOTICIA QUANDO JÁ HAVIAM SIDO COLHIDA 40  MIL ASSINATURAS NÃO POR ELE SER PSICÓLOGO MAS POR FALAR OPINAR E CRITICAR O ATIVISMO GAY.





Justiça nega indenização a transexual 'crucificada' na Parada Gay



Avener Prado/Folhapress

A modelo transexual Viviany Beleboni simulou uma crucificação na Parada Gay
O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou pedido de indenização proposto pela modelo transexual Viviany Beleboni, que simulou crucificação na Parada Gay de São Paulo no ano passado.

Ela afirmou ter sofrido ameaças pelas redes sociais e diz que os ataques foram resultado de eventual "discurso de ódio" proferido pelo senador Magno Malta (PR-ES).

Em discurso, o senador afirmou que a encenação na parada "passou dos limites e semeou a intolerância e o desrespeito à liberdade religiosa". Chamou ainda a ação da transexual de "nefasta, inescrupulosa e reprovável".

Para a juíza Letícia Antunes Tavares, da 14ª Vara Cível Central da Capital, a encenação foi amparada pela garantia constitucional da liberdade de expressão, mas entende também que a modelo deve "arcar com o ônus e a popularidade" da repercussão do ato.

"Não se encontram presentes os requisitos para configuração da responsabilidade civil, pois o exercício do direito de crítica por parte do requerido é lícito e não há provas de que este tenha violado a honra ou imagem da autora, nem de que a ameaçou." Ainda cabe recurso.

A defesa do senador apontou que não houve declaração de ameaça ou ofensa à transexual, já que as críticas teriam sido dirigidas não à modelo, mas ao ato de "debochar" dos símbolos considerados sagrados no cristianismo.

CRUCIFICADA NA PARADA GAY, TRANSEXUAL DIZ TER SIDO AGREDIDA

compartilhevídeos relacionados
0:00
2:12 360p

Agressões
A transexual causou polêmica e atraiu a ira de grupos religiosos por ter interpretado Jesus Cristo crucificado na Parada Gay. Ela relatou ter sofrido ameaças de agressão e ingressou com seis ações por danos morais, contra diferentes pessoas, no TJ-SP. Outros processos ainda estão em andamento.

Em agosto do ano passado ela denunciou ter sido agredida em uma rua na região central da capital. Viviany postou um vídeo no Facebook em que relatou a agressão, dizendo ter sido motivado pelo fato de ela "Não ser de Deus". Não foi registrado boletim de ocorrência.